Participe do nosso site!
Login:Esqueci a senha
Senha:
 
Psicologia, Psicanálise e Desenvolvimento Humano
Constelação Familiar • Hipnose • Visualização Criativa
Terapia em Grupo e Individual • Presencial e pela Internet
Cursos • Workshops
Expediente
Página inicial
Apresentação
Currículo Profissional
Na mídia...
Fale Conosco
Cadastramento
Para Você...
Artigos
Mensagens para Reflexão
Ler e Assistir na Cama
Material de Apoio aos Livros
Exercícios
Atendimentos
Psicologia
Psicanálise
Florais de Bach
Consultório Novo Equilíbrio
Consultório Virtual
Grupo de Orientação

 

Tema: Artigos

Minha Vida Parou! - Reflexão e Exercício


Minha_Vida_Parou

Talvez não entendamos de imediato nosso papel na vida, mas podemos ter a certeza de que todos somos importantes e todos fomos convocados a dar nossa contribuição ao Universo." - Hammed

As lições

Como sempre, gosto de começar meus artigos com alguma frase bacana que resuma o que falaremos mais em detalhes.

Nunca nos esqueçamos de que na vida, sempre haverá um propósito e um benefício, quer nos setores da solidão, quer nos de muitas companhias, ou seja, entre encontros, desencontros e reencontros. Os momentos de aflição e de crise também podem ser momento de oportunidade.

Quando entendemos as verdadeiras intenções das lições que se apresentam, conquistamos tesouros de progresso e amadurecimento. Assim como uma febre sinaliza alguma enfermidade, o sofrimento também está sinalizando que a vida não está indo pelo caminho certo. Para aqueles que refletem sobre isso, o momento é de autoconhecimento e aprendizagem para a transformação.

As Reflexões

Muitas vezes paralisamos numa situação, num pensamento, numa pessoa e o sofrimento instala-se na sua vida. Não percebemos que geramos um ciclo vicioso, inútil, desgastante e autoboicotador.

Porque fazemos isso? O que nos leva a congelar os passos no caminho da vida? Porque não usamos nosso melhor lado para alavancar uma saída? Porque todos os nossos pensamentos são no problema e não levam a nenhum lugar novo?

Na literatura grega Sísifo foi condenado pelos deuses a fazer um trabalho inútil e sem esperança por toda a eternidade - empurrar sem descanso uma enorme pedra até o alto de uma montanha de onde ela rolaria encosta abaixo para que o herói mitológico descesse em seguida até o sopé e empurrasse novamente o rochedo até o alto, e assim indefinidamente, numa repetição monótona e interminável através dos tempos, essa é a cruel condenação de estar empregado em algo que a nada leva.

É assim que tornamos a vida no “inferno de Sísifo”, quando fazemos da vida diária uma enorme pedra que levamos ao topo de uma montanha para que role ladeira abaixo e volte a ser novamente levada ao topo no dia seguinte, na repetição infinita dos mesmos pensamentos, sentimento e comportamentos sem variação ou renovação.

Não seríamos todos Sísifos e estaríamos empenhados num grande esforço, numa grande luta, num grande sacrifício que poderia não estar levando a nada como o sisifismo da mitologia? Talvez nosso trabalho, nossos relacionamentos, nossa vida de forma geral, seja uma grande condenação a repetição ou até a paralisação, pela falta de análilse e busca de transformação. Talvez, num lampejo de consciência,  Sísifo pudesse reconhecer o peso inútil que carregava e consideraria que ele próprio, com a sua mente e sua percepção, poderia reverter aquele processo monótono, cíclico e repetitivo e passar a ser feliz.

Sísifo, foi criado com esse propósito de simbolizar nossas dificuldades em seguir por um caminho diferente, que não seja o de lamentações e tristezas infinitas e no discurso de que algo precisa ser mudado, sem no entanto mudar nada, como se a força que se espera para a transformação não fosse a sua própria, como se a força e a energia que está sendo usada para carregar “as pedras” não fossem as mesmas para se livrar delas.

Para todos nós, seres humanos, existe a possibilidade de modificar a forma de pensar, acabando com a falta de consciência e parar com a repetição do sofrimento, ao longo de um dia, um ano, uma vida sem variação alguma, sem contruir o próprio destino. É preciso deixar que esse rochedo role ladeira abaixo por uma última vez, pensando que poderemos superar qualquer dificuldade, com a mesma força que já temos, e para isso basta perceber e querer.

Nesse sentido, coloco alguns passos para análise que ajudarão muito nessa trajetória.

Pensamento e o Diálogo Interno

A primeira coisa a saber é que tudo começa na forma de pensar. A estrutura pensênica é determinante. E não é só pensar de forma positiva e negativa, como se costuma ouvir por aí. É muito mais do que isso. A condução de pensamento é estruturada por crenças, essas crenças são construídas ao longo de uma vida, então, dessa forma dá para perceber o quão sério e importante é o entendimento da história de vida de cada ser humano.

A segunda coisa a saber é que o pensamento gera um sentimento que irá gerar um comportamento na mesma intensidade e proporção. Exemplo: se você pensar em momentos bons, irá sentir boas emoções e terá vontade de fazer coisas alegres, realizadoras, motivantes. Se pensar o contrário, sentimentos ruins irão aparecer e as atitudes e comportamentos, provavelmente serão de agressividade, falta de ânimo ou algo neste caminho.

Por isso, tenha atenção com aquilo que pensa. Não estou falando para reprimir e controlar pensamento. Estou falando para observar o que pensa, como pensa, porque pensa. É preciso, antes de tudo, entender a forma de pensar e o que a motiva, e assim analisar onde ela tem origem olhando para sua história de vida, a começar pelos pais e você na infância.

Observar qual o diálogo travado dentro de você mesmo, se é afetivo, punitivo, sabotador, castrador ou outro qualquer. Existem vários perfis e muitos ao mesmo tempo. Todos eles tem como referência aprendizados vividos na infância.


“O reflexo da lua não pode ser visto claramente em águas agitadas, mas, quando a superfície da água está calma,
aparece um reflexo perfeito da lua. O mesmo acontece com a mente: quando está calma,
vê-se claramente refletida a face enluarada da alma.”
- Paramahansa Yogananda



Encarar e Entender os Sentimentos

Quando você consegue “pensar sobre o que pensa”, você cria consciência. E isso já começa a fazer toda a diferença, pois a partir daí, você poderá ter entendimentos diferentes sobre você mesmo, isso é gerador de autoconhecimento e transformação.

Uma ajudinha a mais é usar algumas questões para estimular a reflexão e as mudanças.

5 Perguntas Catalisadoras de Mudanças

• O que eu posso começar a fazer?

• O que eu faço que posso parar de fazer?

• O que posso fazer mais?

• O que posso fazer menos?

• O que eu posso fazer de forma diferente (melhor)?

Comece com esses exercícios e na semana que vem, mandarei mais alguns itens para a continuação de sua autoanálise, também voltada para as dificuldades de seguir caminho diante de um relacionamento que não está “legal” ou que já terminou.

SÓ MUDA O COMPORTAMENTO QUEM MUDA O CONHECIMENTO!!!

Leia essa historinha como dica de reflexão:

  • A Ilha (Uma Fábula sobre o Autoconhecimento)



    Sugestão de leitura complementar: " Problemas no Relacionamento?! O que eu faço??? - Mais Reflexão para a colheita dos frutos!!”




  •    Comentários

    Nenhum comentário até o momento. Seja o primeiro a comentar este artigo!!
    Os comentários são moderados, serão analisados pela nossa equipe antes da publicação.


    Mais tópicos relacionados:

    ACONSELHAMENTO TERAPÊUTICO ON-LINE

    Psiquiatria

    Atitudes Transformadoras

    Personalidade Construtora & Personalidade Destruidora

    Desconstruções

    Os problemas estão dentro ou fora de você?

    Floral de Bach

    Dicas para um Bom Relacionamento

    Stress

    Tensão Pré-Menstrual (TPM)

    Dicas para deixar de fumar

    Auto-Estima

    Como está sua Auto-estima?

    O Círculo Vicioso do Amor Imaturo

    Repressão, Resistência e Ato Falho
    Escondido, mas nem tanto...

    Integração das Partes

    Dinâmica das Partes

    Esclarecimentos sobre Psicoterapia

    Afirmações Positivas.......funcionam?

    O Poder das Afirmações Positivas

    Porque não comer carne?

    As 5 Fases para a Realização do seu Projeto de Ano Novo

    Dicas para o Controle de um Ataque de Ansiedade e/ou Pânico

    Síndrome do Pânico

    A Diferenciação das Consciências

    Carência Afetiva, Autoestima e Simbiose nos Relacionamentos

    Vítima eu ???

    Forma-Pensamento

    Constelação Sistêmica Familiar e Organizacional

    Freud - A estrutura e a dinâmica da personalidade - Id, Ego e Superego

    Autoconhecimento:
    Fator Fundamental para o Sucesso!

    A DOR DA SEPARAÇÃO - Enfrentando - Compreendendo - Superando

    O LADO SOMBRA DA PERSONALIDADE

    Complexo de Inferioridade, Aprofundamento e Reflexão

    A Ansiedade e as Crenças

    Razão e Emoção

    Um Novo Olhar Sobre si Mesmo

    Coaching ou Psicoterapia?

    O Retrato da Vida na Terapia de Grupo

    Dicas para deixar a Preguiça de lado e entrar em Ação

    Psicoterapia é para quem Sabe o que Quer

    O MAL-ESTAR NA CIVILIZAÇÃO

    O Amor e os Relacionamentos

    Grupo de Orientação Psicanalítica

    Minha Vida Parou! - Reflexão e Exercício

    Problemas no Relacionamento?! O que eu faço???

    A Arte como Autoconhecimento

    Qual é a Diferença entre Psiquiatra, Psicólogo e Psicanalista?


    Novo Equilíbrio - Tel.: (11) 2605-3166 - E-mail: contato@novoequilibrio.com.br