Participe do nosso site!
Login:Esqueci a senha
Senha:
 
Psicologia, Psicanálise e Desenvolvimento Humano
Constelação Familiar • Hipnose • Visualização Criativa
Terapia em Grupo e Individual • Presencial e pela Internet
Cursos • Workshops
Expediente
Página inicial
Apresentação
Currículo Profissional
Na mídia...
Fale Conosco
Cadastramento
Para Você...
Artigos
Mensagens para Reflexão
Ler e Assistir na Cama
Material de Apoio aos Livros
Exercícios
Atendimentos
Psicologia
Psicanálise
Florais de Bach
Consultório Novo Equilíbrio
Consultório Virtual
Grupo de Orientação

 

Tema: Mensagens

Bem que eu mereço...


Ha muitos anos, o vice-rei de Nápoles, duque de Assuna, fez uma visita a Barcelona, na Espanha.

Ao chegar a cidade, o duque viu que havia no porto, atracada, uma galera cheia de prisioneiros, preparando-se para partir. Os prisioneiros gritavam e gemiam, e o duque decidiu ir a bordo e perguntar a cada um daqueles homens o que haviam feito para estarem reduzidos àquela humilhante condição.

O primeiro homem contou que fora condenado às galés porque um juiz corrupto aceitara suborno de seus inimigos e o condenara injustamente. O segundo prisioneiro disse que seus inimigos haviam subornado testemunhas que depuseram contra ele e assim.apesar de ser inocente, fora condenado. O terceiro contou que tinha sido traído pelo seu melhor amigo, o qual, tendo conseguido mandá-lo prender e condenar, livrou=-se da prisão. Até que um dos prisioneiros mudou de tom na resposta.

- Estou aqui, senhor – disse o homem – porque é aqui que devo estar por ter roubado uma bolsa, num momento em que precisava de dinheiro. Bem que mereço este castigo....

O duque surpreendeu-se muito com aquela resposta e procurou o capitão da galera:

- Aqui estão todos estes homens inocentes – disse ele – condenados às galés pela injustiça da lei e dos homens, e há na galera apenas um homem realmente mau um único autêntico ladrão. Creio que o melhor que temos a fazer é libertá-lo, para impedir que sua influência daninha contamine todos os bons homens que viajam em seu navio.

Assim foi feito: o prisioneiro que assumiu sua culpa e confessou seu crime foi solto e perdoado, enquanto os demais, que não faziam se não inventar justificativas e desculpas para si mesmos, continuaram presos nos ferros da galera.

Essa é uma história real, e é interessante porque serve de exemplo do que acontece conosco. Cometemos algum erro e passamos o resta da vida cuidando apenas de nos justificar, quando a única atitude realmente proveitosa seria assumir que, simplesmente num momento de desespero fizemos o que preferíamos (hoje!) não ter feito. Ou culpamos alguém que raramente tem algo a ver com o nosso erro, ou culpamos as circunstâncias, quando o mais simples seria assumir: “Sou o senhor da minha vida. Sou o único a controlar os processos de minha mente e foram estes processos que fizeram de mim o que sou hoje. Sou responsável por meus pensamentos e sou o único capaz de mudá-los. Posso, se quiser mudar a minha vida”.

Desde que possamos alcançar este momento de verdade, nos livraremos das prisões, das cadeias que nos tolhem, e ficamos livres para viver a vida que, desde sempre, pertence apenas a nós mesmos.

Pense em sua própria vida. Veja o quanto já andou. Aprenda a ser condescendente consigo próprio, a perdoar-se e amar-se como é, com suas qualidades e defeitos. Aceite-se. Perdoe seus próprios erros. Aprenda a respeitar a si próprios, apesar dos defeitos e dos erros, porque só assim você estará livre dos grilhões da vida. Este é o único caminho que conduzirá à vida com a qual você sempre sonhou, com felicidade, em paz, em perfeita saúde. O primeiro passo é assumir plena responsabilidade pelo passadoo, presente e futuro.

   Comentários

Nenhum comentário até o momento. Seja o primeiro a comentar este artigo!!
Os comentários são moderados, serão analisados pela nossa equipe antes da publicação.


Mais tópicos relacionados:

Amizades

A mulher independente assusta o homem?

Manter o amor

O bobo

Revolução da Alma

O Monge e o Escorpião

Quando...

Receita da Dª Helena

Atitude é tudo

Opções

Roupa suja

Uma lição com a cenoura, o ovo e o café

Os sons da Floresta

Momento de Reflexão

Sucesso... será ainda possível?

A Verdadeira Liberdade

A Pedra no Caminho

Sabedoria

Oportunidades

Você decide...

Um Lindo Jardim

Visão Ampla ou Restrita

Confie e Entregue

Para a vida se tornar mais fácil de ser vivida

O Vaso de Porcelana

Conhecimento ou Criatividade?

Sustentação da Auto-Estima

Cuida do que é mais Importante

Céu ou Inferno?

Nó de Afeto

Você é um Construtor de Cercas ou Pontes?

Ação e Reação

Poema da Gratidão

Fundo do Poço

Sorte ou Azar

A Mais Bela Flor

O Gole D’agua

Regras para se tornar um Ser Humano

Riqueza Interior

Renascer

Onde quer que eu esteja

Sermão do Despertar Interior

Mensagem de Vida

Está passando por uma tempestade...

Valorize o que você tem...

Miolo do Pão

DE HOJE EM DIANTE

Cinco Minutos

Copo de Água

Bem que eu mereço...

O Mito de Sísifo

Culto ao Sofrimento

QUASE ACREDITEI

Passeio Socrático

Amar é uma decisão

Tira o Bode da Sala!

A ILHA (uma fábula sobre o autoconhecimento)

O Mito da Caverna de Platão

Kintsukuroi - A Valorização das Experiências

TAO - A Sabedoria do Silêncio


Novo Equilíbrio - Tel.: (11) 2605-3166 - E-mail: contato@novoequilibrio.com.br